Surto Psicótico O Que É E Como Tratar

O termo “surto” é frequentemente usado para descrever uma mudança inesperada ou desproporcional de comportamento diante de eventos cotidianos.

No entanto, de modo diferente a situações específicas do dia a dia, como perder a calma durante uma briga, os episódios psicóticos, por exemplo, muitas vezes ocorrem sem aviso prévio e são acompanhados de sintomas psicóticos (ou psicose).

Diante das vários tabus que existem sobre o assunto, selecionamos as principais questões relacionadas aos sintomas, causas, métodos de prevenção e tratamento dos episódios psicóticos.

Acompanhe até o final e entenda mais sobre o assunto!

Por que a esquizofrenia acontece?

Vários fatores podem contribuir para um episódio psicótico, incluindo a condição mental ou psicológica de uma pessoa, problemas médicos e excesso de álcool e outros medicamentos.

O desequilíbrio na esquizofrenia, transtorno bipolar e depressão maior são alguns dos motivos para manifestações dos sintomas psicóticos”. Dito isto, a psicose se trata de um dos sinais de alguns transtornos mentais graves e pode aparecer de maneira repentina.

Doenças hepáticas, complicação na tireoide, acidente vascular cerebral (AVC), lúpus, sífilis, AIDS e até infecções simples podem causar esses sintomas.

O abuso ou abstinência de substâncias é uma das principais causas de episódios psicóticos, pois todas as drogas possuem o potencial de modificar temporariamente ou a longo prazo o funcionamento de todo sistema nervoso central.

Como resultado os usuários podem sofrer com problemas mentias e físicos, principalmente relacionados a alterações na maneira como percebe, sente e pensa.

Outros fatores que podem estar associados a episódios psicóticos são reações adversas a medicamentos, lesão cerebral, estresse psicológico grave, experiências de grande impacto, privação crônica de sono, desequilíbrios hormonais, procedimentos pós-operatórios e suscetibilidade genética.

Quais são os sintomas da esquizofrenia?

Por se tratar de uma fantasia onde os indivíduos se internalizam em seu próprio mundo e perdem o senso de realidade, os episódios psicóticos apresentam sintomas diferentes.

Por outro lado, estão sempre associados a ideias absurdas e podem chegar a situações em que o indivíduo vê, ouve, sente pessoas ou objetos que nunca existiram.

Dos principais sintomas presentes nos episódios psicóticos, dois são os principais e mais comuns: alucinações e delírios.

  • Quadros de Alucinação

Quando ocorre durante um episódio psicótico, as alucinações são caracterizadas pelo aparecimento de sensações – auditivas, visuais, etc. – Atribuível a causas ou circunstâncias inexistentes.

Ou seja, é possível que os indivíduos presenciem, vejam ou tenham experiências que não correspondam ao mundo real.

  • Quadro Delirante

Por sua vez, delírios em surtos psicóticos levam a crer, por exemplo, que existe toda uma conspiração que possui o objetivo de prejudicá-lo. Isso a leva a acreditar que suas crenças e opiniões não podem ser compartilhadas com ninguém.

Alucinações e delírios podem até ocorrer concomitantemente durante episódios psicóticos, resultando no seguinte:

• Discurso incoerente ou sem sentido;

• Ansiedade;

• Má conduta;

• Frustrado;

• Distanciamento social;

• Falta de motivação;

• Problemas de sono.

Quanto tempo dura a esquizofrenia?

De acordo com pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a duração exata de um episódio psicótico não pode ser determinada.

Assim, o início sempre dependerá do indivíduo, dos sintomas associados à psicose, da presença de outros transtornos ou comorbidades e do acompanhamento médico.

Além disso, o uso de álcool, tabaco ou drogas ilícitas pode agravar quadros psiquiátricos e tornar os surtos mais frequentes, intensos ou prolongados.

Em alguns casos, os transtornos mentais podem durar de 1 dia a 1 mês e, em casos mais graves, podem acompanhar o indivíduo por toda a vida. Por isso é importante procurar um profissional psiquiátrico para avaliar o caso e iniciar o tratamento.

Como a psicose pode se manifestar de forma secundária, algumas doenças podem piorá-la, como: tumores cerebrais, Alzheimer, Parkinson, certos tipos de epilepsia ou derrames em áreas do cérebro.

Quem pode vivenciar um surto psicótico?

Qualquer pessoa pode sofrer um episódio psicótico, embora fatores genéticos e histórico familiar contribuam para uma maior incidência.

Os episódios psicóticos podem ocorrer em pessoas com esquizofrenia, transtorno bipolar ou paranóia, bem como em situações de estresse, trauma ou até mesmo no pós-parto.

Os sintomas psicóticos podem aparecer desde a infância até a velhice, porém, seu início é mais comum em adolescentes e adultos jovens até os 40 anos.

São mais comuns no sexo masculino, porém, ocorrem em ambos os sexos. Também são desencadeadas por substâncias psicoativas, como álcool, anfetaminas, cocaína e outras drogas.

Como prevenir episódios psicóticos?

Uma forma de prevenir episódios psicóticos é evitar drogas como maconha, cocaína e alucinógenos, pois essas substâncias agem diretamente no sistema nervoso central, alterando funções vitais de todo corpo.  

Certas substâncias podem causar doenças mentais graves, como a maconha, considerada um dos fatores de risco para o avanço da esquizofrenia.

Apenas alguns sinais podem ser percebidos, como um declínio no desempenho escolar, no trabalho ou em outras atividades diárias.

Por isso, mantenha sua atenção aos pequenos sinais e procure orientação profissional.

Qualquer tipo de mudança de comportamento é suficiente para realizar uma avaliação médica.  Na dúvida, esse profissional pode ajudar a orientá-lo para o diagnóstico e tratamento adequados.

Como se comportar diante de um surto psicótico?

A melhor maneira de ajudar alguém com psicose é manter a calma e tentar entender a situação o mais rápido possível.

Procure levar a pessoa para um local tranquilo, isolado e não insista que haja resistência. Caso ela esteja se comportando de forma agressiva, evite desafiar ou discutir, pois isso pode criar mais estresse e agravar a situação.

Remova também objetos pontiagudos que possam representar perigo em caso de perda de controle.

Mesmo que você seja um membro da família, evite resolver todos os problemas sozinho, pois a pessoa pode agir de forma irracional e perdendo a noção da realidade.

O melhor a fazer é chamar imediatamente os serviços profissionais, como o SAMU, o corpo de bombeiros, os serviços profissionais de mudança ou uma clínica profissional para obter ajuda e assistência.

Existe cura para o surto psicótico?

O surto psicótico não tem cura, mas pode ser tratado. Nesse sentido, é de extrema importância buscar ajuda profissional. Agindo dessa forma, os sintomas podem ser controlados e o indivíduo pode ter uma melhor qualidade de vida.

Entre os tratamentos sugeridos pelos especialistas estão a psicoterapia, afastando a pessoa (que tem episódio psicótico) de possíveis desencadeantes do episódio, e o uso de medicamentos.

Se a pessoa estiver colocando sua própria vida em risco, poderá ser internada e acompanhada por vários profissionais até que possa conviver em harmonia com os demais.

Portanto, se você vir um amigo ou membro da família sofrendo de um surto psicótico ou sintomas que possam desencadear psicose, procure ajuda!

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.