O uso de drogas e os danos à saúde

O uso de drogas e os danos à saúde

Neste artigo vamos abordar o uso de drogas e os danos à saúde dos que são dependentes dela. Vamos abordar diversos problemas de saúde relaciona ao uso de substâncias viciantes.

Substâncias psicoativas, mais conhecidas como drogas, são substâncias químicas, de origem natural ou sintética, que afetam as funções do sistema nervoso central, ou seja, afetam o cérebro e a medula espinhal.

Existem vários tipos de substâncias psicoativas e elas se enquadram em quatro categorias básicas: depressores, estimulantes, opiáceos e alucinógenos.

Os efeitos do uso de drogas e os danos à saúde

Resumidamente o uso de drogas gera danos à saúde como doenças e morte. Os riscos para a saúde de drogas comumente usados ​​incluem o seguinte:

  • Cocaína: risco de ataque cardíaco, derrame e convulsões
  • Ecstasy: risco de insuficiência hepática e cardíaca
  • Inalantes: risco de danos ao coração, pulmões, fígado e rins após uso prolongado
  • Maconha: Risco de perda de memória, aprendizagem, resolução de problemas e concentração; risco de psicose, como esquizofrenia, alucinações ou paranoia, mais tarde na vida associado ao uso precoce e frequente
  • Metanfetamina: risco de comportamento psicótico após o uso de longa duração ou altas doses
  • Opioides: risco de dificuldade respiratória ou morte por overdose
  • Cigarros eletrônicos (vaporizadores): Exposição a substâncias nocivas semelhante à exposição que ocorre ao fumar cigarros; risco de dependência de nicotina

Vamos entrar mais afundo nos problemas de saúde desencadeados pelo uso de drogas.

Infecções e danos ao sistema imunológico

O uso de drogas e os danos à saúde - Portal

As drogas injetadas por via intravenosa apresentam um risco muito alto de infecção, especialmente por HIV, hepatite B e C ou infecções bacterianas pelo compartilhamento de agulhas sujas.

Há também riscos de infecções respiratórias superiores por cheirar ou fumar drogas.

A euforia associada a muitas substâncias intoxicantes, especialmente álcool, cocaína e narcóticos, pode diminuir as inibições, o que aumenta a chance de correr riscos sexuais e contrair uma DST.

Algumas drogas, como a cocaína, afetam diretamente a capacidade do sistema imunológico de criar glóbulos brancos, o que reduz a resposta imunológica à infecção.

Os especialistas estimam que cerca de metade de todos os pacientes adultos com pneumonia já abusou de drogas no passado.

O uso de drogas e os danos à saúde mental

Os transtornos relacionados ao uso de substâncias podem surgir quando se toma drogas ou drogas que ativam diretamente o sistema de recompensa do cérebro pelas sensações de prazer que induzem.

As sensações agradáveis ​​variam dependendo da substância.

O abuso de substâncias pode trazer à tona transtornos mentais subjacentes e aumentar os sintomas.

Embora o abuso de substâncias não cause necessariamente um transtorno de saúde mental, ele pode trazer um à superfície, aumentar os episódios psicóticos e intensificar os sintomas já existentes.

Por exemplo, alguém que abusa do álcool, mas também tem um transtorno de ansiedade não diagnosticado, pode ficar ainda mais deprimido, ansioso e até suicida ao usar álcool.

Os sintomas de abstinência do abuso de substâncias podem aumentar ainda mais a ansiedade e outros sintomas de doenças mentais, aumentando o desejo de continuar a abusar de substâncias, pois podem entorpecer os sentimentos durante a embriaguez ou alta.

O uso abuso de drogas também causam dano aos neurônios. Os neurônios perdidos, ou mortos não são substituídos.

Então com a morte de um número significativo de neurônios o individuo pode perder boa parte do seu QI.

E essa perda de QI poderia fazer o indivíduo apresentar um comportamento que seria interpretado como doença mental.

Outro cenário comum, é que muitas pessoas com doença mental crônica aprendem a usar drogas ou álcool como forma de controlar seus sintomas. E dessa forma acaba agravando seu problema, ao invés de mantê-los sob controle.

Problemas cardiovasculares

O uso de drogas e os danos à saúde inclui também problemas cardiovasculares.

Os estimulantes podem aumentar a frequência cardíaca do usuário, enquanto drogas depressoras podem desacelerá-la.

A pressão sanguínea alta ou baixa consistente pode estar associada a um risco aumentado de coágulos sanguíneos, lesão isquêmica e outros problemas circulatórios, como dissecção da aorta ou da artéria coronária.

Muitas substâncias intoxicantes podem causar batimento cardíaco irregular. Estimulantes, como cocaína ou metanfetaminas, podem causar mortes por overdose de parada cardíaca.

O uso de medicamentos por via intravenosa também pode ter efeitos cardiovasculares negativos, como inflamação vascular local e disseminada, infecções nas válvulas cardíacas e, de outra forma, um potencial para aumento da exposição a vários processos infecciosos transmitidos pelo sangue.

Problemas gastrointestinais

As drogas e medicamentos ingeridos por via oral, como álcool ou medicamentos prescritos como opioides ou medicamentos para TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), podem causar danos ao sistema digestivo.

Os opioides podem causar constipação crônica e outras substâncias podem causar problemas estomacais, indigestão, náuseas ou vômitos.

A indigestão crônica (associada ao consumo crônico de álcool) é chamada de doença do refluxo gastresofágico (DRGE), que pode danificar o esôfago e tornar doloroso o consumo de certos alimentos.

Vômitos frequentes devido a essas substâncias também podem causar danos ao esôfago e causar problemas de desnutrição.

Problemas respiratórios

O uso de drogas e os danos à saúde - Portal Vida Limpa

Fumar qualquer tipo substancia pode danificar os alvéolos dos pulmões e tornar o sistema respiratório superior mais suscetível a infecções.

Algumas drogas depressoras, especialmente os opioides, podem retardar a respiração ou torná-la superficial ou irregular.

Se uma pessoa tem uma overdose de opioides ou de alguns outros depressores, a hipóxia pode levar à morte.

Além disso, se uma pessoa tem um padrão respiratório reduzido ou deprimido por muito tempo devido ao vício, seu corpo também pode ficar sem oxigênio, causando danos a outros sistemas orgânicos.

Danos no Fígado

O fígado está envolvido na metabolização de nutrientes, mas também é um local primário de desintoxicação para muitos tipos de substâncias consumidas.

Em face dos níveis constantemente elevados de certos medicamentos, o fígado pode ficar sobrecarregado em suas funções metabólicas e os tecidos do órgão começam a se decompor.

O Álcool, inalantes, heroína e esteroides podem danificar rapidamente o fígado, causando cirrose ou hepatite.

O uso de drogas e os danos à saúde dos rins

Os rins também filtram as toxinas da corrente sanguínea, por isso são afetados por grandes quantidades de qualquer substância perigosa no sangue.

Algumas drogas estão associados a uma condição conhecida como rabdomiólise.

Que é a degradação do tecido muscular que inunda a corrente sanguínea com níveis tóxicos de conteúdo de células musculares, incluindo uma grande proteína conhecida como mioglobina; como resultado, os rins podem ficar sobrecarregados e incapazes de filtrar as toxinas com eficiência.

Isso pode resultar em dano renal progressivo, levando à insuficiência renal que requer diálise.

Drogas como heroína ou outros opioides que resultam em depressão respiratória e uma redução associada na quantidade de oxigênio que o corpo ingerir também podem causar danos aos rins.

Além disso, aditivos e impurezas em algumas drogas ilícitas também podem obstruir os pequenos vasos que fornecem sangue aos rins após serem injetados, resultando em danos a esses órgãos vitais.

Problemas Neurológicos

Quando uma pessoa luta com o abuso de substâncias por muito tempo, o cérebro se adapta. Ao fazer isso, certas mudanças na química do cérebro acompanham o desenvolvimento da dependência física da substância em questão.

Além da dependência física, o uso consistente de uma substância viciante pode levar ao vício e um distúrbio cerebral.

Então, à medida que o vício se desenvolve, regiões do cérebro envolvidas com várias funções-chave, como a de prazer, tomada de decisão e controle de impulso, podem sofrer mudanças.

Álcool, benzodiazepínicos e outros sedativos-hipnóticos são depressores do sistema nervoso central, o que significa que reduzem a sinalização cerebral excitatória, levando a uma maior sensação de calma ou relaxamento.

Além disso, em doses altas o suficiente, esses medicamentos também estão associados a problemas de movimento, prejuízo cognitivo significativo e perda de memória.

Enquanto isso, estimulantes como cocaína, metanfetamina, ecstasy e algumas outras drogas sintéticas aumentam o disparo dos neurônios, levando a uma maior atenção, emoções altas e energia física.

No entanto, uma vez que essas drogas começam a deixar o corpo, efeitos colaterais negativos podem se desenvolver.

Pois o cérebro pode ser mais lento para restaurar o equilíbrio de neurotransmissores como serotonina, dopamina e norepinefrina.

Fechamos assim, uma série de problemas e danos a saúde causada por abuso de drogas. Sem dúvida o uso de drogas deve ser evitado a todo custo para manter uma saúde forte.

Fale com Terapêuta de plantão e tire suas duvidas!

Fale Conosco

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.