O Que É Dependência Emocional

Compreenda o que dependência emocional, qual sua origem, quais os sintomas e como tratar.

Os seres humanos por serem seres sociais têm a tendência a criar laços uns com os outros ao longo de suas vidas para relacionarem.

De certa forma, a vida fica mais tranquila e é mais fácil passar pelas dificuldades quando temos com quem contar, mas não devemos contar com isso.

Porém, não podemos deixar que esses laços se tornem amarras, fazendo com que um individuo condicione a sua vida a atitudes de outra pessoa.

Existem decisões que devem ser tomadas pela própria pessoa e momentos que ela precisa ficar sozinha, não se deve contar com a presença de alguém sempre.

O afeto exagerado pode acabar causando problemas de convivência e desgaste nas relações sociais do indivíduo, por isso, deve ser moderado sempre.

Dessa forma, para que você saiba reconhecer se você próprio ou alguém do seu convívio está desenvolvendo dependência emocional, fizemos este artigo.

Vamos falar um pouco sobre o que é a dependência emocional, sua origem, seus sintomas e como pode ser tratada.

Leia até o final e saiba mais sobre esse assunto!

Entenda o que é dependência emocional

A dependência emocional se trata de um transtorno mental que afeta a forma como o individuo se relaciona em seu meio social.

Além disso, a dependência emocional também pode ser conhecida como codependência, por conta de o quadro emocional de uma pessoa depender de outra.

Nesse distúrbio, o individuo projeta expectativas nas pessoas próximas, seja um familiar ou parceiro e depende dos outros para se sentir bem e capaz.

Essa dependência acaba se tornando prejudicial aos relacionamentos sociais, porque o dependente quer que o outro aja conforme aquilo que ele idealizou.

É comum observar que as pessoas que apresentam esse transtorno, tem em comum o medo, por não sentirem seguras de si mesmas.

O comportamento de esperar sempre pelo outro para poder se sentir feliz, é uma das características do dependente emocional.

Portanto, não é recomendado deixar essa pessoa sem um acompanhamento psicológico adequado, uma vez que toda a sua vida social pode ser afetada.

Quais as origens da dependência emocional

Em primeiro lugar, antes de mostrar como identificar uma pessoa com dependência emocional, vamos apresentar quais as origens desse transtorno.

Na maior parte dos casos, as pessoas que apresentam codependência, passaram por algum trauma na infância, onde nossas emoções começam a se desenvolver.

A infância dos seres humanos é longa quando comparada aos demais animais, por isso, a forma como ela é vivenciada tem influencia direta no decorrer da vida.

Desde quando somos bebes, dependemos de alguém para nos dar cuidado e proteção, à medida que vamos crescendo, a forma como isso nos é passado, irá afetar o nosso futuro.

Por isso, tanto o exagero, quanto a falta de cuidado podem prejudicar a nossa forma de interagir em meio as relações sociais.

Quando há o excesso de cuidado e a falta de imposição de limites, o ser humano tende a crescer com o senso de dependência de tratamento especial.

No entanto, quando há falta de zelo, a dependência se mostrara na vida adulta no sentido de busca constante por aprovação e carência constante.

Quais os sintomas da dependência emocional

Depois de apresentar como se dá a codependência, vamos expor quais os sinais de uma pessoa com esse transtorno.

É comum observar a dependência emocional em relacionamentos românticos, onde uma pessoa exige que a outra dê atenção exclusiva, recorrendo a chantagens e manipulações.

Ainda nessas relações, o dependente deixa de realizar atividades da sua vida individual por conta da dedicação em excesso aos seus parceiros, gerando um desgaste.

Ademais, outros comportamentos observados são:

– Dificuldade de tomar decisões importantes sozinho;

– Sentimento constante de insatisfação;

– Tédio;

– Medo da solidão/ medo de ser abandonado;

– Não tem consciência dos próprios problemas;

– Ciúme em excesso;

Esses são os sintomas mais comuns, mas existem vários outros que podem ser percebidos em pessoas com dependência emocional.

É importante considerar, que nem sempre a pessoa com transtorno consegue perceber essa condição, mas quem está de fora pode facilmente constatar.

Por conta dessa necessidade do outro excessiva, muitas vezes a dependência emocional é comparada ao abuso de substâncias tóxicas, ou seja, uso de drogas.

Como fazer para tratar a dependência emocional

Ao perceber a condição de dependente emocional, há algumas atitudes que podem ser tomadas para tratar esse distúrbio.

O primeiro passo é aceitar a terapia como uma aliada para poder entender as causas que levaram ao desenvolvimento da codependência.

Assim, será possível ressignificar os traumas vivenciados, uma vez que não podemos reviver nossa infância, mas podemos compreender os reflexos dela.

É preciso estar disposto para o autoconhecimento, entender as razões que levaram a tomar determinadas atitudes e assim poder conquistar a independência.

Com o acompanhamento psicológico, a pessoa vai conseguir internalizar o seu real valor, identificar suas necessidades emocionais e trabalhar o autocontrole.

Dessa forma, as relações serão mais estáveis e harmoniosas, uma vez que o dependente irá compreender que a necessidade dos outros não atendem suas expectativas.

Passos que auxiliam na libertação da dependência emocional

Além da ajuda psicológica, há alguns passos que o dependente emocional pode seguir para atingir sua libertação e aprender a se sentir bem sozinho.

O primeiro passo, é reconhecer a situação de dependência, uma vez que não dá para superar algo negando a existência de que há uma coisa errada.

O segundo passo é não ter medo das incertezas, por mais que não se tenha controle, é preciso confiar que tudo ficará bem.

O sentimento de ter tudo sobre controle, dá aos dependentes emocionais a sensação de segurança, quando na verdade estão sendo tóxicos nas relações.

O terceiro passo é focar mais em você do que no outro, busque priorizar seus pensamentos e suas opiniões, sem esperar pelo que o outro fala.

O quarto passo, é ter a consciência de que é preciso dizer “não”, sempre se coloque em primeiro lugar antes de qualquer coisa, não abra mão da sua autonomia emocional.

Seguindo esse processo, você estará no caminho para se sentir livre e bem!

Este artigo foi útil? Então, aproveita para conferir “internação compulsória”.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.