Dependência De Remédios E Como Tratar

Dependência De Remédios

A dependência de remédios é um problema tão sério quanto a dependência de substâncias ilícitas. E, de fato, a diferença entre ambos é a dosagem e o fato de os remédios terem um processo de produção fiscalizado.

Os efeitos que os medicamentos fazem em nosso cérebro e em nosso corpo no geral podem desencadear a dependência química. As consequências são diversas, indo até mesmo a morte.

Saber identificar essa dependência é muito importante para que as medidas sejam tomadas o mais rápido possível, de modo a aumentar as chances de um tratamento por um período mais curto e, ao mesmo tempo, mais eficiente.

O que é dependência de remédios

A dependência de remédios é caracterizada pela necessidade de usar os medicamentos com frequência, a qual tem a tendência de aumentar com o passar do tempo.

O dependente em remédios sente que precisa de analgésicos por qualquer motivo, mesmo sendo um incômodo quase imperceptível. A ideia de dor já é um gatilho para tomar qualquer coisa que possa aliviar.

O vício é pelo bem-estar que o remédio causa e um dos maiores problemas é que o acesso a essas substâncias é mais fácil. Muitas pessoas têm uma mini farmácia em casa, o que é normal!

Como você consegue comprar e tomar remédios sem nenhuma prescrição em alguns casos, essa facilidade intensifica ainda mais o problema.

Mas, claro, muitos remédios também necessitam de receita médica, dificultando um pouco mais a aquisição.

A dependência de remédios acaba sendo gradual. O estágio inicial é o de tolerância, onde o seu corpo não sente mais o mesmo efeito do medicamento como antes. Parece que ele se torna mais fraco.

E, de fato, o nosso corpo passa a responder de forma menos intensa. O resultado? A necessidade de tomar doses maiores para o mesmo efeito.

Quando a vontade de tomar medicamentos começa a promover sintomas de abstinência já é um momento perigoso e isso não pode passar despercebido.

Sinais claros desta abstinência são insônia, agitação, suor, vômitos, dores de cabeça, cansaço, falta de concentração e até mesmo falta de ar.

Todos os medicamentos são perigosos?

Há distintas categorias de remédios, cada qual causa um efeito diferente em nosso corpo.

No caso da dependência de remédios, os barbitúricos e benzodiazepínicos acabam ganhando destaque, pois são os remédios voltados para o tratamento de transtornos mentais e calmantes.

São muito usados para o controle de humor e para dormir, então causam uma sensação gostosa e de alívio. Este alívio, porém, é muito perigoso. Astros como Michael Jackson e Marilyn Monroe morreram por isso.

Entretanto, outras classes de remédios também podem entrar para a lista de perigosos. Um “simples” AAS (ácido acetilsalicílico), Dipirona ou Paracetamol podem desencadear um forte vício.

O uso de remédios deve ser feito, de preferência, com prescrição médica. Aqueles que não precisam de indicação devem ser consumidos com mais cautela ainda.

Por quem é feito o diagnóstico e tratamento – Dependência De Remédios

O diagnóstico de dependência de remédios deve ser dado por um médico psiquiatra.

É necessário que o profissional faça uma avaliação pontual e em alguns casos são exigidos exames de urina.

O tratamento também deve ser feito por um psiquiatra e muitas vezes a opção de desintoxicação hospitalar e reabilitação acabam sendo a escolha dos profissionais.

Como a dependência está muito relacionado com questões psíquicas, é extremamente fundamental que haja o acompanhamento para dar suporte ao pós-desintoxicação.

Assim como um dependente em substâncias ilícitas, o indivíduo que é viciado em remédios precisa de uma rede de apoio. Esta, por sua vez, pode se manifestar de diferentes formas, como:

Grupo de Apoio

É um grupo liderado por um terapeuta especializado, onde outros dependentes compartilham suas experiências similares. É uma forma de desabafar e criar empatia como a própria condição.

Terapia Familiar

O vício nunca prejudica apenas quem possui dependência de remédios, afeta a família e amigos. A terapia familiar é uma forma de restabelecer os laços e fortalecer o apoio das pessoas mais importantes na vida.

Terapia Cognitiva

É um tipo de terapia que busca mudar o seu mindset. É uma forma de melhorar a sua forma de lidar com as adversidades.

Terapia Comportamental

É um tipo de terapia com foco nos comportamentos prejudiciais que podem engatilhar o uso de remédios.

Claro, ao decorrer desses tratamentos é importante manter o acompanhamento do psiquiatra.

Tratamentos mais intensos – Dependência De Remédios

Quando o paciente chega a ter uma overdose de remédios é considerado um caso de extrema emergência médica. Sendo assim, é preciso realizar o devido atendimento para que não haja nenhuma poda.

Nesses casos podem ser necessários aparelhos que auxiliam a respiração, até mesmo ventilação mecânica.

E, apesar de contraditório, são ministrados alguns medicamentos para que o paciente fique estável novamente. O acompanhamento deve ser feito por alguns dias até assegurar que o paciente está fora de perigo.

Esse é um nível grave de dependência de remédios, ao qual todos os dependentes estão sujeitos a chegar se não começarem a tratar suas condições precocemente.

Como evitar a dependência de remédios

Como o uso de remédios é normalizado, acaba sendo mais difícil de distinguir essa dependência. Entretanto, é muito importante que – mesmo você se considerando alguém totalmente controlado – avalie o seu consumo de medicamentos.

Aqueles que possuem casos de dependência de remédios ou de qualquer outra substância na família devem ter o cuidado redobrado. Algumas pessoas têm maior tendência a desenvolver abstinência aos remédios.

Em qualquer sinal de necessidade por medicamentos, mesmo que pequeno, não hesite em procurar apoio de psicólogos e terapeutas. Essa abordagem natural e nada invasiva é muito eficaz e suficiente quando feita precocemente.

E, mais uma vez, o uso de remédios só deve ser feito sob prescrição médica. Medicamentos “inocentes” como analgésicos e afins devem ser tomados com muita cautela.

É importante evitar esses medicamentos, pois – além da questão da dependência de remédios – eles não fazem bem para o corpo de modo geral. Em casos de dúvidas, sempre procure um profissional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.